Torne-se um Encantador de Plateias! TURBINE treinamentos, palestras, workshops, aulas, reuniões de forma a ATRAIR e MANTER a atenção dos participantes >> Saiba Mais

Como usar o afeto na validação de grupos de trabalho

As relações entre trabalhadores e empresa se modificaram substancialmente depois do surgimento da internet, mídias sociais e da banda larga móvel. Validar, prestigiar e reconhecer pessoas no ambiente de trabalho é, nesse momento, um dos grandes desafios para a gestão pós-moderna organizacional, uma vez que essas práticas apresentam resultados que mostram que são formas integrar os grupos aos seus líderes.

Eu acredito que o relato de uma vivência seja muito mais produtivo do que a apresentação de uma teoria, uma vez que teorias estão disponíveis na internet. Por isso peço licença para compartilhar com você um momento bem interessante que acontece nos treinamentos em que atuo como facilitador.

Em 2008 abandonei a forma com que lecionava nas empresas desde 1990 e criei o Palestra em Roda método de construir eventos educacionais humanistas para o meio corporativo, ou seja, simples, orgânicos, naturais, fisiológicos, criativos, lúdicos e ainda por cima de baixo custo operacional e executivo. É com esse método que construo sessões de cursos, palestras, oficinas, mentorias e coaching de grupo.

Quem conhece o método Palestra em Roda, sabe que o fundamento básico do método é pegar as poderosas Danças Circulares – não como um produto final e acabado, mas como ingrediente protagonista – e construir dinâmicas de grupo complexas, produtivas e principalmente, inéditas.

Pois bem, surpresos com o inusitado do método, os participantes, sempre que iniciam a primeira vivência, o fazem com alguma insegurança, curiosidade e dúvidas. Em um determinado momento da vivência eu passo a olhar os participantes nos olhos, sorrio e aceno positivamente com a cabeça validando os movimentos que estão produzindo. A partir daí a mágica acontece. Sessam os risos, as conversas paralelas, o grupo coloca foco no que está fazendo, ouve a música e realiza a vivência com perfeição.

E por que eu contei isso? Porque existe uma crença que os liderados necessitam apenas de orientações técnicas, bons exemplos e cobranças. Deixa eu falar uma coisa para você: líder que pensa assim está pensando de forma obsoleta. Na realidade, pessoas reunidas em grupos de trabalho têm outras necessidades, como a atenção e o reconhecimento. Para ser bem exato, o grupo se desfaz na ausência do afeto.

Oh, presta atenção: As pessoas necessitam tanto de atenção e reconhecimento que para obterem isso, podem se envolver propositadamente em um acidente ou provocar um erro. Na teoria dos afetos é melhor receber uma bronca do que ser ignorado. As pessoas que não recebem afeto perdem a motivação para engajar-se seja lá com o que ou com quem.

Mas Sergio, como é que eu resolvo isso? Deixa eu falar para você o método que uso: 1º- Promova um clima de afetividade, reconhecimento e camaradagem. A equipe produz mais e melhor em climas afetivos;

2º- Não tenha medo de ser afetivo. Nunca soube de algum líder que tenha perdido o comando da equipe por ser afetivo. Líder afetivo não é paternalista, bonzinho ou permissivo, é assertivo, ou seja, fala o que tem que ser dito, agora, sem desqualificar seus liderados.

É isso!

Eu sou Sergio Naguel e eu torno a vida dos líderes menos estressada e eles próprios mais produtivos e alegres desenvolvendo a dirigibilidade dos seus grupos de trabalho via mento-coaching de grupos pelo método Palestra em Roda.

Posts Recentes

Sergio Naguel

Sergio Naguel ajuda palestrantes e instrutores a conquistarem mais engajamento das plateias com menos esforço e mais alegria por meio do método Palestra em Roda e como consequência mais contratos e maior remuneração.

Palestra em Roda

Meu propósito? Que a empresa passe a ganhar, parando de perder. Reeduque socioemocionalmente seus colaboradores para que se tornem parceiros leais
Fechar Menu
Close Panel